BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

TRIGUN



Sinopse:
Vash - O estampidoVash é um homem misterioso cuja cabeça está a prêmio de mais de 3 bilhões por quem capturá-lo vivo ou morto. Ninguém no início sabe exatamente como ele é... Apenas que veste um sobretudo vermelho e é muito perigoso. Assim foram selecionadas para vigiá-lo as agentes de seguro Maryl Strife e Milly Thompson, que foram incubidas da árdua missão de seguí-lo para evitar as catástrofes que ele causa, que acabam quebrando qualquer agência de seguro, pois ele é conhecido por "apenas" varrer as cidades as quais ele passa do mapa!
Porém, quando elas finalmente encontram o verdadeiro Vash - o tufão humano, o estampido, como costumam chamá-lo - elas vêem que ele não é tão perigoso assim. Aliás, sequer poderiam imaginar que um cara tão bobalhão e engraçado poderia ser aquele que diziam ter aniquilado várias cidades em questão de segundos...
Porém o perigoso Vash somente se revela quando os bandidos mexem com pessoas inocentes. Aí ele se transforma no "tufão humano" que todos temem, desviando-se de balas como se estivesse dançando ou mesmo fazendo acrobacias espetaculares que ninguém imaginaria que ele seria capaz.
No fundo, Vash é muito mais do que parece ser, tanto no seu lado hilário, que adora brincar com crianças, cantar mulheres bonitas e comer rosquinhas, quanto no seu lado mais sombrio, que realmente é capaz de fazer coisas muito além do limite humano.
Comentário:
TrigunTrigun é um anime raro. Para não falar no tremendo sucesso que a série e o mangá fazem até hoje, ainda mais agora que está passando na TV brasileira peloCartoon Network (é uma pena que passe apenas de madrugada). É acima de tudo uma comédia muitíssimo bem bolada, que não perdoa nem um momento e não deixa passar a piada. Além disso, tem muita ação no melhor estilo cinemático, com personagens simples que surpreendem por fazerem coisas sobre-humanas. E depois disso ainda tem o suspense e o drama que corre por trás da verdadeira história de Vash, pelo qual ficamos loucos pra entender, mas cuja verdadeira história só nos é revelada nos últimos capítulos.
Para começar, o personagem de Vash foi muito bem construído. Ele possui uma dupla personalidade que deixa o enredo muito mais interessante. Ninguém imagina que um sujeito tão palhaço seja um cara tão mortífero. Vash faz graçinhas o tempo inteiro. Zomba da morte literalmente. E o pior, é que ele pode! Só o fato de ele desviar de tiros à queima-roupa já diz tudo. E ainda depois disso ele ainda é capaz de ficar ingenuamente amigo de quem lhe deu os tiros dizendo: tome cuidado com armas de fogo...  hahaha
O segundo ponto ganho por Trigun é o personagem do padre Nicholas D. Wolfwood que acaba se tornando tão principal quanto Vash. O padre é carismático e faz graçinhas igual ao Vash. Quando eles se encontram é um besteirol só! Porém o padreco é também muito mais do que aparenta. Sua enorme cruz que carrega sem o menor esforço e que dois homens comuns mal conseguem levantar juntos, guarda muito mais que o "perdão", que ele diz levar naquela cruz...
Milly, Maryl e WolfwoodO terceiro ponto vai para as personagens Maryl e Milly. Elas são completamente incapazes de prever o comportamento de Vash e apenas o que podem fazer é o seguir por toda parte e escrever laudos para a seguradora, na maioria das vezes, depois do estrago já ocorrido. Entretanto, elas acabam ajudando Vash nos seus caminhos. E de tanto observar Vash, elas acabam percebendo que ele não é um mau sujeito e tem um coração muito bom, apesar de sua personalidade mudar da água para o vinho, sem qualquer motivo aparente. Acaba ficando interessante também porque de tanto elas ficarem por perto, Maryl se apaixona por Vash e Milly pelo padre Wolfwood (eu chamo de "padre" mas seria mais como um pastor, pois ele não se afasta de Milly por causa de sua posição, nem muito menos deixa de praticar uma total apologia a métodos menos "ecumênicos" de correção de infiéis, como tiros de revólver).
O quarto ponto vai para a história em si: no início trata de capítulos soltos que servem mais para realçar a personalidade de Vash e mostrar ao espectador em quais horas ele se transforma no "estampido" para depois poder aprofundar-se na história secreta que se esconde embaixo de seu sobretudo vermelho. História essa que é no mínimo surpreendente, revelando cada vez mais personagens que se tornam os antagonistas principais da história... Quem é o tal do Legato? Quem é a linda moça de cabelos pretos que permeia os sonhos de Vash? E porque ele é chamado de "Tufão Humano" e tem a cabeça a tão alto prêmio, sendo que ele não parece ser tão nocivo assim? Bem... Não conto mais pra não perder a graça.
Vash e KnivesOutros pontos o anime ganha fácil por sua música, que situa muitíssimo bem o anime tanto em suas cenas calmas como nas de ação. Varia de um suave e lindo dueto de piano e flauta até um pesado heavy-metal da abertura, não deixando de ter obviamente os clássicos blues de violão bem ao estilo do "velho-oeste". Impressiona também saber quem são os seiyuus de Trigun! Só pra começar a espantar: o seiyuu de Vash é ninguém menos do que o talentoso Onosaka Masaya, que dentre os seus personagens mais famosos está o hilário Takeo de Mahou Tsukai Tai! , Momoshiro Takeshi de Tennis no Ojisama, Ida Kyoji de Millenium Actress, dose-dupla com os personagens Aida Hikoichi e Yasuda Yasuharu de Slam Dunk e nada menos que a voz do Kerberos de Card Captor Sakura (isso mesmo! A voz do Kerberos crescido, não do Kero pequenino). Só pela variedade de vozes que Masaya faz dá pra ver o talento do seiyuu e de toda a personalidade que ele imbuiu em Vash (que não é pouca!). Outros seiyuu que se destacam são: Yukino Satsuki (Milly Thompson em Trigun e a Mutsumi de Love Hina, a Chidori de Full Metal Panic!, a Kagome de Inuyasha e Hokuto Sumeragi de X TV); Tsuru Hiromi (Meryl Strife em Trigun e a Madoka de Kimagure Orange Road, Kiddy Phenil em Silent Moebius e a Asuna em Maison Ikkoku) e Hayami Shou (Nicholas D. Wolfwood em Trigun e Eiri Masami em Lain, Maximillian Jenius em Macross), Seki Toshihiko (Legato em Trigun e o Pai de Asuka em Evangelion, Duo Maxwell em Gundam Wing, Iruka em Naruto, Yurimaru em Ninja Scroll, entre outros).
Bem...  Eu poderia ficar enumerando aqui diversos pontos extras em Trigun, mas vou deixar para que vocês tenham a curiosidade de assistí-lo. É um anime muito engraçado e que você só não ri do início ao fim porque tem umas partes de ação bem legais (em que o Vash não deixa de fazer suas graçinhas).
Acho que o único defeito de Trigun é o final.  Não por ser um final ruim, mas porque é tão legal que a gente quer ver mais! Dá até uma dó de saber que é o último capítulo! Eu mesmo corri pra achar os mangás (Trigun e Trigun Maximum) só pra ver se rolava mais alguma coisa além do anime.
Trigun
Bom...  não tenho muito mais o que dizer, apenas que eu recomendo muito para quem não liga para as peripécias sobre-humanas encapsuladas em um humano aparentemente comum. Afinal acho que o legal do desenho japonês de "heróis" é exatamente isso: ver que por mais sobre humanos que possam ser, eles são tão humanos quanto eu e você. 

Nenhum comentário: